Espaços urbanos

Espaços urbanos
Igreja Santo Antônio - foto Mário H. Kämpf

sábado, 17 de agosto de 2013

Por que SÃO JOÃO da Cachoeira?

No dia 5 de agosto de 1820 ocorreu a instalação do município, com a abertura dos livros de registros oficiais da Câmara, a eleição dos três primeiros vereadores, do procurador, tesoureiro e escrivão, além dos juízes, e o levantamento do pelourinho, símbolo da autonomia da Vila Nova de São João da Cachoeira. Mas por que São João?

Imagem: www.novageraçao.org.br

Esta pergunta até então não tinha uma resposta definitiva e os pesquisadores atribuíam tal denominação ao fato de ser D. João VI o príncipe regente do Reino, razão natural de dar seu nome ao novo município.
Pois um dos preciosos volumes de documentos encadernados do acervo do Arquivo Histórico (CM/S/SE/RE-001), do período que compreende justamente o da instalação do município, acaba de confirmar tal suposição.
A assessora técnica do Arquivo Histórico, Neiva Ester Corrêa Köhler, em busca de informações relativas ao período em que a Câmara Municipal alugava casas para seus trabalhos na Vila, deparou-se com cópia da carta remetida a D. João VI, em 26 de agosto de 1820, dando-lhe ciência de que o nome escolhido para o novo município era “o Grande Santo do Seu Imortal Nome”.
A carta, redigida pelo escrivão da Câmara Joaquim dos Santos Xavier Marmello, esclarece que o povo, agradecido e reconhecido pelo fato de D. João VI ter ouvido suas súplicas de separar a Freguesia da Cachoeira da Vila de Rio Pardo, havia decidido dar a ela o nome de Vila Nova de SÃO JOÃO da Cachoeira.

O nome do santo padroeiro do Príncipe Regente não vingou entre nós e acabou desaparecendo na poeira do tempo. A tradição portuguesa do culto à Nossa Senhora da Conceição teve mais força e tornou-a padroeira da cidade. E São João, que não virou padroeiro, foi apenas patrono por 39 anos.

Um comentário:

  1. Lamentável que não tenhamos sequer uma capela em homenagem a São João Batista.

    ResponderExcluir