Espaços urbanos

Espaços urbanos
Centro Histórico - foto Eduardo Schroeder

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Série Lojas do Passado: Viúva José Müller & Cia.

Havia em Cachoeira uma grande casa comercial fundada na Colônia Santo Ângelo pelo imigrante alemão José Müller e depois estabelecida na Rua Sete de Setembro, esquina com Rua Sete de Abril, hoje Dr. Milan Kras. 


Viúva José Müller & Cia. - Rua Sete de Setembro - arquivo familiar

José Müller transferiu-se para Cachoeira a fim de expandir os negócios e oferecer melhores condições de vida à sua família. Ele era natural da localidade de Radl e chegou à Colônia Santo Ângelo com os pais Floriano Müller e Barbara Demuth.

José Müller - fototeca Museu Municipal
Fundada em 1883, a firma foi transferida para Cachoeira em 1894. Em 1902, a razão social mudou para José Müller & Irmão, quando foi admitido o sócio Ernesto Müller. Em 1911, nova entrada de sócio: Emílio Barz, passando a denominação da firma para José Müller & Cia. Ltda.

Ernesto Müller - arquivo familiar
José Müller, para relembrarmos um pouco de sua história, foi o fundador da Schützen-Verein Eintracht, atual Sociedade Rio Branco, em agosto de 1896, quando reuniu amigos e simpatizantes em sua residência, na Rua Sete de Setembro, traçando os passos iniciais deste que é o mais antigo clube social ainda existente em Cachoeira. José faleceu em 21 de fevereiro de 1911, quando então houve nova mudança de razão social para Viúva José Müller & Cia., assumindo o negócio a sua esposa Augusta Lange Müller.



Interior da firma, vendo-se ao fundo, em pé, Ernesto Müller.
Sentado, ao centro, o outro sócio, Emílio Barz - arquivo familiar

Além do comércio de secos e molhados, fazendas, louças e ferragens, a firma foi a primeira a realizar transações bancárias na cidade, sendo correspondente do Brasilianische Bank für Deutschland, oferecendo facilidade de crédito para lavoura, pecuária e comércio.
A firma Viúva José Müller & Cia. também atuava com agricultura, mantendo grande área com cultivo de arroz no Município.
Em setembro de 1924, a firma extinguiu-se, sendo transferidos, um ano depois, o ativo e os débitos dos fregueses à firma Arnaldo & Cia., de Porto Alegre.


quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Série: Cachoeira Futebol Clube - 1914 - 2014

A primeira diretoria do Cachoeira Futebol Clube, eleita em 28 de fevereiro de 1914, estava constituída dos seguintes membros:
- Presidente: Theobaldo Ruschel
- Vice-Presidente: Cícero Teixeira
- 1.º Secretário: Percival G. Ilha
- 2.º Secretário: Cyro da Cunha Carlos

Cyro da Cunha Carlos - primeiro à esquerda  - arquivo particular

- 1.º Tesoureiro: Demétrio Lorentz
- 2.º Tesoureiro: Armando Almeida
- Capitão Geral: Arthur Fetter
- Orador oficial: Mário Godoy Ilha

Mário Godoy Ilha - galeria de Prefeitos

- Guarda Esporte: Arno Trommer

Arno Trommer - sentado, ao centro - Grande Álbum de Cachoeira - 1922


- Diretor de Campo: Raul Almeida

Busca-se imagens dos outros membros da Diretoria. Colabore com a memória do Cachoeira Futebol Clube no ano de seu centenário.


segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Dr. Silvio Scopel

O Jornal do Povo, em sua edição de 7 de fevereiro de 1935, publicou o seguinte texto, em comemoração ao aniversário natalício do médico Silvio Scopel, italiano que se radicou em Cachoeira, granjeando o respeito e a admiração da cidade que o homenageou com o nome de uma rua e de um bairro:

Há um quarto de século, mais ou menos, a assistência médica à população deste município era sobremodo deficiente. A profissão médica era, então, geralmente encarada como um meio de fazer fortuna rapidamente. 
Não admira, pois, que os necessitados da velha arte de curar fugissem ao abrigo da clínica local: os remediados e abastados, receosos dos bruscos desequilíbrios financeiros, e os pobres, naturalmente, por sentirem que a sua clientela não era agradável à orientação do medicalismo local...
Destarte o campo da clínica, em um município aliás rico e de basta população, relativamente tomava um aspecto pouco convidativo da clínica médica, mantendo-se, por isso, pouco volumoso o corpo médico local.
Estavam as coisas neste pé quando apareceram por aqui dois médicos chegados diretamente da Itália, Drs. Silvio Scopel e Dalvesco. O primeiro, caracteristicamente clínico, e o segundo, também clínico, mas especialmente em cirurgia. Seu destino era Santa Maria, mas ocorreram circunstâncias que os detiveram aqui.
Por fim, fixaram-se em Cachoeira, de onde, dentro de um ano, mais ou menos, regressou para sua terra natal o Dr. Dalvesco, tendo aqui deixado um largo círculo de amigos e admiradores, tanto se fizeram apreciáveis suas qualidades de médico e de homem. Aliás, ambos eram cavalheiros da coroa italiana.
Dalvesco, infelizmente, não regressou. A morte o surpreendeu ainda moço, na sua Pátria. 
O Dr. Silvio Scopel, que hoje celebra o seu aniversário natalício, entre bênçãos da população cachoeirense, fixou aqui sua residência, constituindo família.

Dr. Silvio Scopel - fototeca do Museu Municipal

Na celebração desta auspiciosa data é oportuno rememorar que, desde o início da permanência deste nobre e benemérito facultativo entre nós, verificou-se esta situação feliz: a assistência médica tornou-se, desde logo, acessível a todas as bolsas, mesmo àqueles que não possuem bolsa alguma, sendo que desde muito Cachoeira conta com um dos melhores corpos médicos do Estado, pelo vulto, pela capacidade e pela orientação sacerdotal.
Cachoeira tem esta felicidade: possui, neste particular, uma das melhores assistências que se pode desejar, tanto no aspecto clínico como no cirúrgico, chefiado pelo Dr. Félix Garcia.
O nome do Dr. Scopel, como clínico, pode-se dizer que é conhecido e acatado em todo o país, pois quando se instalou em Porto Alegre o Congresso Médico, presidido pelo Mestre dos clínicos brasileiros, Dr. Miguel Couto, este o convidou para tomar parte no Congresso, apesar do nosso aniversariante não ter o seu diploma transitado pela Academia Brasileira.
O Jornal do Povo, associando-se à celebração de sua data aniversária, exibe, em clichê, a efígie do aniversariante, apanhada por um de seus doentes, na ocasião em que o benemérito clínico auxiliava uma operação no Hospital de Caridade.

Clichê com o perfil do Dr. Silvio Scopel publicado no Jornal do Povo, edição de 7/2/1935

Através do texto publicado no Jornal do Povo, relembramos este médico italiano que chegou há 100 anos em Cachoeira, participando ativamente da vida da comunidade e contribuindo para elevar a medicina aqui praticada.
Quanto ao Dr. Alvise Dalvesco, sua vontade e patriotismo levou-o de volta a terra natal, onde tomou parte na Primeira Grande Guerra, lá perecendo. Dr. Scopel também queria ter voltado à Itália para defendê-la naquela guerra, mas motivos de saúde o impediram. Quis o destino que ele ajudasse a escrever uma parte da nossa história.