Espaços urbanos

Espaços urbanos
Catedral em preparativos para pintura - foto Mirian Ritzel

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Apostas do passado

A cada edição da EXPOINTER os criadores de Cachoeira do Sul voltam com um bom número de rosetas, evidenciando que a pecuária local tem qualidade e competitividade. Mas isto não é fruto do acaso e sim de uma trajetória histórica fundada na segunda metade do século XVIII.

A criação de gado foi a primeira vocação econômica do município. A opção que os soldados portugueses tiveram quando aqui chegaram para tentar assegurar o cumprimento do Tratado de Madri, aproveitando-se do gado xucro que vadiava pelos campos, perpassou os séculos, sobrevivendo e acompanhando os ciclos econômicos que vieram depois.

Na segunda metade do século XIX, com a instalação da Charqueada do Paredão, houve grande incremento à criação de gado. A própria Charqueada mantinha em seu redor vastos campos para invernada do gado que adquiria. Cachoeira chegou a abalar os negócios das charqueadas de Pelotas por sua localização geográfica privilegiada, no centro do estado. Vender para a Charqueada Paredão era melhor negócio, pois Cachoeira ficava no meio do caminho...

Charqueada do Paredão vista de longe - cartão-postal de Benjamin Camozato
- fototeca Museu Municipal

Por conta das vantagens de Cachoeira em detrimento de outros pólos charqueadores, e aproveitando o movimento revolucionário de 1893, dizem, a ponte do Passo Geral do Jacuí teve providencialmente incendiada parte do seu leito, impossibilitando assim a passagem das tropas que vinham abastecer a Charqueada!

Pilares que restaram da Ponte do Passo Geral do Jacuí - foto Méia Albuquerque

Durante os primeiros anos do século XX, notadamente quando o Dr. Balthazar de Bem era o intendente, a administração municipal demonstrou preocupação com a melhoria do plantel de gado criado localmente, tomando iniciativas que hoje podem parecer inusitadas, mas que certamente contribuíram para que a pecuária aqui tivesse os incrementos necessários para se solidificar. O touro flamengo adquirido para cruzar com as vacas dos chacareiros em 1913 foi uma destas iniciativas, assim como a compra e a distribuição gratuita de sementes do capim-gordura e capim-jaraguá, também ideia do visionário Balthazar de Bem naquele mesmo ano. Estes capins eram considerados os melhores para o engorde do gado. Aliás foi o Dr. Balthazar o introdutor no município do gado da raça Devon, de que fazia criação em suas duas granjas da Penha, uma que se localizava onde hoje está o Bairro Marina (este era o nome da sua esposa) e outra no caminho para Caçapava.

Capim-jaraguá - unilabsementes.com.br

Capim-gordura - agrolink.com.br

Os tempos mudaram e a tecnologia chegou ao campo, vencendo as barreiras naturais da própria cultura do criador gaúcho, que era baseada quase que unicamente na experiência e na tradição passadas de pai para filho. As cabanhas cachoeirenses estão consentâneas com o século XXI, esbanjam bons espécimes e honram uma tradição fundada ainda ao tempo do domínio e posse de nossas fronteiras. Apostas do passado com respostas no presente e projeções para o futuro.

sábado, 27 de agosto de 2016

Inusitadas histórias da velha Cachoeira...

Nossa Cachoeira tem cada história!  Esta vem de 1913.

Touro flamengo

A Intendência de Cachoeira, sob o comando do Dr. Balthazar de Bem, adquiriu um touro flamengo para ser “cedido” gratuitamente aos chacareiros que tivessem interesse em cruzá-lo com suas vacas. O objetivo do intendente era o de melhorar a produção de carne e de leite dos rebanhos cachoeirenses.


Prédio da Intendência Municipal. Ao fundo, o Teatro Municipal.
- fototeca Museu Municipal

Dr. Balthazar de Bem - intendente.
- fototeca Museu Municipal

O jornal Rio Grande, edição do dia 9 de outubro de 1913, noticiava que o touro flamengo pertencente à municipalidade estava no campo de Luiz Casemiro, onde permaneceria por todo o mês, indo depois para a chácara de Antonio Savedra.

No inverno o touro iria para o 6.º distrito*, a fim de servir as vacas dos colonos ali residentes.

Quem recebia o animal tinha que permitir que outros interessados trouxessem suas vacas para serem servidas por ele.

O que não se sabe é quanto tempo o touro resistiu...

*6.º distrito: o atual município de Agudo, parte da antiga Colônia Santo Ângelo.

domingo, 14 de agosto de 2016

Turnverein - a prática da ginástica em Cachoeira

Em tempo de jogos olímpicos, o momento é oportuno para relembrar um personagem da história local que é pouco conhecido, porém marcou época e desenvolveu em Cachoeira uma das mais completas modalidades esportivas: a ginástica. Seu nome: Fritz Zimmermann.

Mas a história da ginástica em Cachoeira começou antes dele. Em 1908, foi fundada a Turnverein – Sociedade de Ginástica baseada no modelo alemão deste tipo de agremiação e que portava uma bandeira onde quatro “F”, em formato de cruz, traduziam o espírito dos sócios e praticantes da ginástica: Frisch, Frei, Fromm e Froh, ou sadio, livre, crente e alegre.

www.landesring.mittelrhein.de

No mesmo ano de 1908, a Turnverein filiou-se à Federação de Ginástica do Rio Grande do Sul, sendo representada por Arthur Fetter, zelador da diretoria da sociedade. Com ele compunham o grupo diretor: Ernesto Müller, presidente; Guido Kurtz, secretário, e Carlos Zimmer, tesoureiro.

Nos primeiros anos, a sociedade de ginástica utilizou a sede do Salão Frohsinn, na Rua Moron, para os treinamentos até que, em 1916, com a inauguração da nova sede da Schützen-Verein Eintracht (atual Sociedade Rio Branco), os então 40 integrantes da Turnverein resolveram unir-se à sociedade alemã do Bairro Rio Branco, passando a ser um de seus departamentos. Naqueles primeiros tempos a orientação dos atletas era feita por Arthur Fetter e Roberto Petersen, contando com o apoio de Ernesto Müller, Willy Scheidt, Leopoldo Dill, Alexandre Herzog e José Hipp.

Primeira sede própria da Schützen-Verein Eintracht - Bairro Rio Branco
- fototeca Museu Municipal

Em 1921, foi organizada uma grande apresentação de equipes, nas categorias masculina, feminina e infantil, atuando os homens nos aparelhos de barra, paralelas, cavalo e argolas, as mulheres em ginástica sueca e as crianças em marchas e evoluções rítmicas ao som de uma banda. Ao todo se apresentaram trinta ginastas comandados por Roberto Petersen, alguns da Escola Alemã-Brasileira (atual Colégio Sinodal).

Depois da participação do departamento em eventos da Federação de Ginástica do Rio Grande do Sul, em 1926 foi contratado o professor Fritz Zimmermann para promover e desenvolver a ginástica em diversas modalidades. E foi o que ele fez orientando 65 atletas masculinos, 16 femininos e 117 estudantes da Escola Alemã-Brasileira. Além da prática da ginástica, Fritz incentivava a sua associação com a música, a dança e o teatro, utilizando-a como recurso para o desenvolvimento harmônico do atleta, ou seja, do seu corpo e da sua mente.

Ginastas masculinos do Departamento de Ginástica

Ginastas femininas do Departamento de Ginástica
Grupo de ginastas orientados por Fritz Zimmermann (primeiro à esquerda)
 - fototeca Museu Municipal

Em julho de 1930, nas comemorações do 106.º aniversário da imigração alemã no Rio Grande do Sul, o intendente José Carlos Barbosa homenageou os ginastas da Sociedade Atiradores Concórdia (antiga Schützen-Verein Eintracht) com uma placa assentada sob um carvalho plantado na Praça José Bonifácio um ano antes. A placa por muito tempo foi mantida no local, sendo restaurada em 1974, ano do sesquicentenário da imigração alemã, durante a administração do prefeito Pedro Germano, e reinaugurada na praça. O professor Fritz Zimmermann se fez presente naquele dia de julho de 1974, sendo relembrado em seu papel de incentivador e desenvolvedor da ginástica em Cachoeira do Sul. Infelizmente a placa foi roubada em meados dos anos 2000, sendo desconhecido o seu destino.

25 de julho de 1930 - colocação da placa aos ginastas sob o carvalho
- Praça José Bonifácio - fototeca Museu Municipal

A ginástica e o atletismo ainda tiveram prática na Sociedade Atiradores Concórdia, mas foram paulatinamente perdendo o caráter competitivo, deixando de participar de torneios distritais e sucumbiram. O abandono da prática não tirou a importância de Fritz Zimmermann e também de Alexandre Herzog, outro grande propagador deste esporte. Nomes fortes na ginástica, ambos foram fundamentais para o desenvolvimento em Cachoeira de outros esportes que também têm grande importância dentro dos jogos olímpicos: o vôlei e o basquete, duas modalidades que fizeram muita história por aqui.

Fonte: Sociedade Rio Branco - 100 anos de concórdia - 1896 - 1996, Museu Municipal de Cachoeira do Sul.