Espaços urbanos

Espaços urbanos
Igreja Santo Antônio - foto Mário H. Kämpf

sábado, 7 de novembro de 2015

Desaparece o Hotel do Comércio

Cachoeira assistiu, nos últimos dias, ao desaparecimento do que restava de uma das mais reconhecidas e frequentadas esquinas da Rua 7 de Setembro: a que abrigou, por décadas, o Hotel Homrich, depois Hotel do Comércio.

Rua 7 de Setembro ao tempo do Hotel Homrich e Sapataria Augusto Zimmer
- Fototeca Museu Municipal
- Fototeca Museu Municipal

Parte do prédio do extinto Hotel do Comércio ainda resistia, mas tombou definitivamente, levando com ele ricos detalhes arquitetônicos e, mais do que isto, a memória dos tempos em que os hotéis hospedavam não somente os viajantes, mas também toda sorte de profissionais que por serem raros andavam a circular de cidade em cidade, oferecendo seus préstimos aos cidadãos. Médicos, dentistas, fotógrafos, engenheiros, artistas, ilusionistas...

Parte do prédio recentemente demolido - foto Eduardo Minssen
Desde o final do século XIX até muitas décadas do século XX o Hotel do Comércio acolhia forasteiros que percorriam a quadra decorada da Rua Sete, depois de terem descido na Estação Ferroviária, atraídos pela boa fama de suas dependências, atendimento e cozinha.

Em 1905, o estabelecimento foi adquirido por Nicolau Roos, que promoveu diversas melhorias, o que incluía um restaurante bem sortido e que atendia às exigências de higiene da época, orgulhando o seu proprietário.

Quarto de hóspedes do Hotel do Comércio
- Grande Álbum de Cachoeira, de Benjamin Camozato - 1922 -
Em 18 de setembro de 1907, o jornal O Commercio estampava uma propaganda do Hotel do Commercio:

De Nicolau Roos. Ótimas acomodações. Mesa variada e boa. Asseio e modicidade nos preços. Tem este hotel a grande vantagem de ser localizado perto da Estação. Rua 7 de Setembro. Cachoeira.

Em 1923, Nicolau Roos adquiriu o Hotel Guaíba em Porto Alegre, transferindo o Hotel do Comércio para o seu genro Cícero Teixeira. O Hotel do Comércio ainda sobreviveu muitos anos depois da morte de Nicolau Roos, em 1941.


A fachada do Hotel do Comércio dominou a paisagem da Rua 7 de Setembro por período que abrangeu dois séculos. Foi substituída por um posto de combustíveis, mas manteve parte de sua edificação ao longo da Rua Presidente Vargas. Pequenos negócios e moradias singelas ocuparam o velho prédio por muito tempo. Até que a estrutura, degradada pela falta de manutenção, mas ainda digna e bela, ruiu pela mão do homem... levando com ela muitas histórias, memórias de um tempo que não volta mais!

Obras de saneamento na Rua 7 de Setembro, defronte ao Hotel do Comércio
- Fototeca Museu Municipal
Nota: o que restou do prédio do Hotel do Comércio não estava protegido pelas leis do patrimônio histórico-cultural.

Nenhum comentário:

Postar um comentário