Espaços urbanos

Espaços urbanos
Praça Dr. Balthazar de Bem - Méia Albuquerque

domingo, 18 de fevereiro de 2018

O octogenário Cine-Teatro Coliseu

Muitos querem que ele sucumba, desapareça com seu aspecto de abandono e dê lugar a qualquer coisa sem história, sem forma, sem graça. Outros lutam para manter a sua memória, dando valor à fachada art-decó que foi a sensação da cidade a partir daquele 17 de fevereiro de 1938, quando suas portas se abriram para que o público embevecido assistisse ao filme inaugural São Francisco - a cidade do pecado.

Inauguração do Cine-Teatro Coliseu - 17/2/1938
O prefeito Reinaldo Roesch descerrando a fita inaugural do Cine-Teatro Coliseu
- Fototeca Museu Municipal
Letreiro - Foto Renato F. Thomsen

80 anos se passaram desde aquele dia. Muitas glórias o Cine-Teatro Coliseu viveu e muitos papéis desempenhou na vida de Cachoeira, excedendo o de simples casa de exibições cinematográficas para ser palco de peças teatrais, de conferências, audições musicais, de formaturas e discursos políticos. Sem contar o quanto povoa o imaginário das gerações que tiveram oportunidade de disputar suas poltronas nas sucessivas sessões ofertadas.

Hoje a discussão paira sobre o pouco que sobrou de sua estrutura magnífica e os incômodos advindos de uma edificação abandonada, o que representa simplificação da sua importância e minimização do valor de sua presença na paisagem urbana.

Fachada art-decó - Foto Renato F. Thomsen

Neste fevereiro de 2018, quando o Cine-Teatro Coliseu atingiu seus 80 anos de inauguração, vale ressaltar que este outrora luxuoso palco de espetáculos poderá ter vários e diversos usos, já tendo sido tema de trabalhos acadêmicos de arquitetura que sonharam para ele dignidade e inserção na vida da comunidade. 

O velho cinema espera pela redenção de sua existência e se hoje ostenta triste figura, certamente é porque os responsáveis por sua estrutura só o tiveram em conta quando por suas bilheterias soavam moedas em profusão, pagamento justo daqueles que buscavam no seu escuro salão as lindas luzes da ribalta.

2 comentários:

  1. Daqui de Osasco, na grande São Paulo estou lendo essa matéria e me deu uma grande saudade,pois cheguei a assistir alguns filmes no Coliseu e só eu sei o quanto essa fase foi e continua sendo importante na minha vida. Só se sente saudades de algo que nos proporcionou um dia momentos de alegria e esse é o caso do Coliseu. Espero que ainda haja uma possibilidade de ele ser restaurado e que outras pessoas tenham momentos de grande felicidade como eu e tantos outros cachoeirenses tiveram um dia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcelo, o teu comentário, que agradeço muito, vem ao encontro dos sentimentos de muitos cachoeirenses que como tu tiveram a oportunidade de usufruir das atrações proporcionadas pelo Coliseu. Mas, na contramão, outros tantos clamam pela sua destruição. O fato é que a fachada do Coliseu está tombada como patrimônio histórico e, apesar do descaso do proprietário e de todos os imbróglios advindos disto, há sim excelentes formas de aproveitamento daquele espaço que pode, deve e merece ser restaurado! Abraço.

      Excluir