Espaços urbanos

Espaços urbanos
Nossa Senhora - Renato F. Thomsen

domingo, 30 de junho de 2019

O primeiro jornal de Cachoeira


Por ocasião da chegada do Jornal do Povo ao seu 90.º ano de circulação, de imediato vem à memória o primeiro órgão de imprensa escrita surgido em Cachoeira.

O Cachoeirense era o nome desse jornal surgido em maio de 1879. A notícia de sua existência chegou até nós por meio do historiador Aurélio Porto, ele mesmo um entusiasta da imprensa e com passagens por vários jornais.  Era impresso duas vezes por semana e tinha caráter político. O fundador d’O Cachoeirense foi o tipógrafo Amaro José Lisboa, tendo como redator e diretor Bento Porto da Fontoura, um dos filhos de Antônio Vicente da Fontoura.

A época do surgimento do jornal coincidiu com um momento político especial vivido pelo Brasil, que era o da propaganda republicana e abolicionista. Certamente O Cachoeirense reproduziu em suas páginas, dentre anúncios comerciais, literários e do cotidiano da cidade, um pouco daquele cenário que antecedia a abolição da escravatura e logo depois a proclamação da República.

No entanto, nenhum exemplar d’O Cachoeirense era conhecido, ficando as informações sobre o seu formato, circulação e ideário a critério do que o nosso historiador-mor levantou. Até que uma espiada no conteúdo de um CD de inventários vindo do Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul – APERS trouxe luz sobre o primeiro jornal de Cachoeira! Este grande achado, ainda que reduzido a uma foto de parte da primeira página do jornal, comprovou que O Cachoeirense era um periódico comercial, noticioso e literário, como também a maior parte dos jornais de seu tempo. A circulação se dava nas quintas-feiras e domingos, e o endereço do escritório e tipografia era a Rua do Imperador n.º 4, hoje a Rua 15 de Novembro.

O Cachoeirense, edição de 1/3/1882 - Acervo APERS

A circulação do nosso primeiro jornal não chegou a completar cinco anos, saindo a última edição em 31 de março de 1884, quando o seu fundador foi embora para Porto Alegre.

No acervo documental do Arquivo Histórico, é possível encontrar documentos que provam que logo depois de fundado, graças ao tino comercial de Amaro José Lisboa, um dos primeiros assinantes foi a Câmara Municipal. A Câmara, como hoje a Prefeitura, necessitava divulgar editais e tornar públicas outras informações de interesse da comunidade. Um bom negócio para ambos.

Recibo dado por Amaro José Lisboa - 18/7/1879 - CM/Po/RD/DD-035

Cachoeira teve muitos outros jornais a partir d’O Cachoeirense. Alguns circularam pouco tempo, outros foram mais persistentes. O mais duradouro de todos, o Jornal do Povo, teve como mais próximo em longevidade O Comércio, que circulou de janeiro de 1900 a fevereiro de 1966.

A imprensa, na história de Cachoeira, tem muito ainda a revelar, pois boa parte dos jornais que aqui circularam não deixaram exemplares disponíveis para uma análise dos conteúdos que produziram. Vive-se, então, a eterna espera de um dia topar com um recorte, uma folha, quem sabe uma edição inteira de um destes jornais para então entrever um retrato de seu tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário