Espaços urbanos

Espaços urbanos
Ponte do Fandango - foto Mireila Moro

domingo, 4 de novembro de 2012

Societá Italiana Principe Umberto


         A comunidade de origem italiana de Cachoeira fundou uma sociedade no dia 4 de agosto de 1912. Foram fundadores: Biagio Alaggio, Gaetano Alario, Carlo Barone, Pietro Battisti, Giacomo Bidone, Biagio Calderaro, Giovannangelo Calderaro, Luigi Gaiani, Giovanni Gastaldi, Pasquale Gazzaneo, Amailde Lazzarini, Ferrucio Livi, Guido Livi, Vittorio Livi, Enrico Marzano, Giovani Panosso, Francesco Pedrazzani, Pietro Pedreschi, Cherubino Poli, Angelo Riccardi, Serafino Riccardi, Agostino Rossi, Nicola Salzano, Pietro Scotà, Pietro Stringhini.
         A festa inaugural da Sociedade aconteceu no dia 6 de julho do ano seguinte, quando as portas da sede própria, recém-construída, foram abertas aos sócios e comunidade, na Rua São João, atual Pinheiro Machado, esquina com a Dr. Milan Kras. O terreno, que media 35 palmos de frente por 300 de fundos, foi adquirido de Antonia Carolina Fialho em outubro de 1912.
         Antes da mudança para a sede própria, a Societá Italiana funcionou em sede provisória na Rua Moron n.º 18.
          A Societá Italiana Principe Umberto recebeu este nome para homenagear “o forte rebento da árvore gloriosa da Itália e da árvore terrível e santa do herói de Montenegro, minúsculo povo, mas pela virtude maior do que muitas outras grandes nações!”, conforme fragmento do discurso inaugural reproduzido pelo jornal O Commercio (1900- 1966) em sua edição de 9 de julho de 1913.

Principe Umberto 

         Em abril de 1928 a sociedade mudou sua sede social para a Rua Júlio de Castilhos, em prédio comprado de Henrique Richter. Nova inauguração se deu em janeiro de 1929. Com as dificuldades sofridas pelas sociedades fundadas por estrangeiros no Brasil durante a Segunda Guerra Mundial, a Sociedade Italiana Príncipe Umberto foi dissolvida em 15 de maio de 1941, sendo incorporada pelo Grêmio Náutico Tamandaré.
        


Nenhum comentário:

Postar um comentário