Espaços urbanos

Espaços urbanos
Ponte do Fandango - foto Mireila Moro

sábado, 18 de julho de 2015

Aspectos gerais de Cachoeira em 1904

Como seria a Cachoeira de 1904? Quem eram as lideranças da comunidade, os empresários, os comerciantes e que opções de entretenimento havia?
As respostas a estas indagações foram encontradas em uma publicação do jornal O Commercio, edição do primeiro dia do ano de 1904.
Darei início a uma série de postagens até que se complete a totalidade das informações trazidas pelo jornal de 1904, e incluirei comentários pertinentes ao que se sucedeu em termos de iniciativas que estavam sendo tomadas naquela época e atualizações, quando for o caso.

Cachoeira. Sua fundação. Por ato de 10 de julho de 1779 foi criada a freguesia de Nossa Senhora da Conceição da Cachoeira. Até então o seu território pertencia à comarca de Rio Pardo. Em 26 de abril de 1819, por alvará do Rei D. João VI, foi desmembrado do de Rio Pardo e elevado à vila com a denominação de Vila Nova de São João da Cachoeira. Pela Lei Provincial nº 443 de 15 de dezembro de 1859 foi elevada à categoria de cidade. Pela lei orgânica de 7 de setembro de 1892, e de acordo com as bases estatuídas na Constituição do Estado de 14 de novembro de 1892, foi feita a organização municipal.
O município é dividido em sete distritos e sua população de 25.000 habitantes. Os principais edifícios públicos são: Igreja, Intendência Municipal, Teatro, Império, Mercado, Quartel Municipal, etc. Já foi colocada a pedra fundamental para o hospital de caridade e trata-se da fundação de um hipódromo1.

Igreja Matriz e Império
- fototeca Museu Municipal
Teatro e Intendência - fototeca Museu Municipal
1Segundo o jornal O Commercio publicou em 27 de abril de 1904, uma comissão estava chamando concorrentes para a construção da cancha e pavilhão do Jockey Club Cachoeirense, atendendo às condições de que o prado fosse construído em terrenos de propriedade de Antoninha Fialho, paralelos à Estrada de Ferro de Porto Alegre a Uruguaiana e linha de tiro de sociedade D. B. Schützen-Club. A execução da obra deveria obedecer ao projeto confeccionado pelo agrimensor Cassiano de Freitas Santos. A inauguração aconteceu em 27 de novembro daquele ano. 

D. Antoninha Fialho - fototeca Museu Municipal
D. B. Schützen-Club (Clube de Atiradores Alemão-Brasileiro)
- fototeca Museu Municipal

Ruas, travessas e praças – seus nomes primitivos e atuais
Ruas
do Loreto – 7 de Setembro
Santo Antônio - Saldanha Marinho
da Igreja – Moron
do Paulista – 15 de Novembro
de Santa Helena – 1º de Março2 
do Cardoso – Riachuelo
do Amorim, do Passo de Jacuí, de São João e Júlio de Castilhos

Travessas
do Matadouro – hoje Major Ouriques
do Lavapés – 7 de Abril3  
do Ilha – 24 de Maio4
do Ourives – Andrade Neves
da Lagoa – General Portinho
dos Pecados – Dr. Ramiro Barcelos
do Soeiro – General Osório
da Tapera – General Câmara
do Ferminiano5
da Igreja6
de São José – Conde de Porto Alegre
de São João – Félix da Cunha
da Luiza – General Vitorino7

Praças
da Igreja – Conceição8
do Pelourinho – José Bonifácio
de São João – Itororó
A primeira é ajardinada e a segunda arborizada.
Vigário da Paróquia: Padre Manoel Alves Soares.

2A Rua 1º de Março hoje se chama Rua Liberato S. Vieira da Cunha.
3Hoje Rua Dr. Milan Kras.
4Hoje Rua Dr. Sílvio Scopel.
5Rua Gabriel Leon
6Travessa Monsenhor Armando Teixeira atualmente.
7Rua Tuiuti.
8Praça Balthazar de Bem.

Administração municipal
Intendente, Coronel David Soares de Barcellos
Vice-Intendente, Major José Pinós Filho
Secretário do município, Antonio Antunes de Araújo
Tesoureiro, Manoel Carneiro Pinto
Sub-Intendente, Capitão Julio dos Santos Rosa
Conselho Municipal: José Friedrich, presidente; Henrique Gauss, Jorge Hugo Franke, João Schmidt, Victorio Livi, Carlos Pötter, Manoel Marcondes de Almada, José Albino Pohlmann.

Cel. David S. de Barcellos
- fototeca Museu Municipal


Segue na próxima postagem!

Um comentário:

  1. O que seria o "Império" citado como um dos principais prédios?

    ResponderExcluir