Espaços urbanos

Espaços urbanos
Praça Dr. Balthazar de Bem - Méia Albuquerque

terça-feira, 13 de março de 2018

Joaquim Vidal - um artífice da cidade

O pelotense Joaquim de Almeida Vidal desembarcou em terras cachoeirenses aos 19 anos. Encontrou na progressista cidade um vasto campo para suas habilidades criativas, abarcadas em um leque de possibilidades. O desenhista, projetista e decorador foi o responsável por grande parte do embelezamento urbano a partir da década de 1920, embora hoje pouco se atribua oficialmente ao seu gênio criador.

Joaquim Vidal - Grande Álbum de Cachoeira,
de Benjamin Camozato - 1922

A chegada a Cachoeira, em 1915, foi para trabalhar na Agência Singer, revendedora das renomadas máquinas de costura Singer, então estabelecida na Rua 7 de Setembro. O convívio com o mundo da costura deve ter-lhe servido de escola para desenvolver uma de suas habilidades – a de compor fantasias, peças de indumentária e elementos decorativos para vitrines, festas e bailes.

Por volta de 1919, Joaquim Vidal foi admitido como servidor na Intendência Municipal (prefeitura), atuando na então Secretaria de Obras Públicas, setor encarregado por obras e conservação de ruas, praças e jardins, dentre outros serviços. Dedicou-se à municipalidade durante 35 anos, sendo responsável por obras de embelezamento das praças Borges de Medeiros, Dr. Balthazar de Bem e José Bonifácio, com destaque para a cancha de basquete.

Remodelação da Praça José Bonifácio - Álbum Joaquim Vidal

Ajardinamento na Praça Borges de Medeiros e Reservatório R2
- Álbum Joaquim Vidal

Nas grandes obras que envolveram a construção do Château d’Eau e do Reservatório R2, lá esteve Joaquim Vidal, tendo provavelmente opinado nas intervenções que se sucederam à construção destes importantes reservatórios da rede de distribuição de água. Aliás, o acompanhamento destas obras legou aos nossos dias um valioso álbum em que registrou fotograficamente todas as etapas do saneamento, o que infere a sua participação em todo o processo que se desenvolveu sob o comando do intendente João Neves da Fontoura, com orientação técnica dos grandes sanitaristas da época.

Construção do Château d'Eau - Álbum Joaquim Vidal

Muitas também são as casas e edifícios que projetou, tanto para Cachoeira do Sul como para outras cidades, como provam várias plantas resguardadas no acervo do Arquivo Histórico. Os pavilhões da VI Festa Nacional do Trigo, realizada em Cachoeira, em outubro de 1956, saíram de suas pranchetas. Igualmente as instalações da VII Festa Nacional do Trigo, acontecida na cidade de Passo Fundo, em 1957, foram por ele projetadas.

Uma das tantas obras de Joaquim Vidal - grande parte delas segue no anonimato - é o estádio municipal, que ostenta o seu nome. A inauguração, em dezembro de 1939, se deu com um jogo de futebol entre o Grêmio e um combinado cachoeirense. Obra de vulto, o primeiro grande destaque do estádio municipal foi ter sediado a abertura da Festa do Arroz, em março de 1941, festa que aliás contou com a grande criatividade de Joaquim Vidal, Artibano Savi e Torquato Ferrari na decoração de importantes vitrines do comércio daquela época, como as das casas Augusto Wilhelm e  Alaggio.

Estádio Municipal na Festa do Arroz - 1941 - Álbum Lucy Ribeiro
Vitrine da Casa Augusto Wilhelm
- Cachoeira Histórica e Informativa,
de Vitorino e Manoel Portela
Vitrine da Casa Alaggio
- Cachoeira Histórica e Informativa,
de Vitorino e Manoel Portela
Os três grandes nomes na decoração da cidade 
na Festa do Arroz - 1941
- Joaquim Vidal, Artibano Savi e Torquato Ferrari

Joaquim de Almeida Vidal faleceu há 60 anos, no dia 13 de março de 1958. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário