Espaços urbanos

Espaços urbanos
Catedral em festa - foto Renato F. Thomsen

domingo, 27 de julho de 2014

O prestígio da beleza

Seria de crer que nesta época de ambições brutais, de mercantilismo insaciável e do egoísmo feroz, de trapaças políticas e vergonhosos manejos comerciais, a mulher tivesse perdido muito do seu antigo e ofuscante prestígio.
Pura ilusão. A mulher com o fascínio do mistério da sua perpetuamente enigmática feminilidade, com a sugestão e a magia da sua beleza, ainda reina soberana sobre o pensamento e as ambições dos homens, ainda é instigadora de heroísmos e de baixezas, de gestos que têm a magnificência dos ritmos imortais e de atos que amesquinham a natureza humana até a mais baixa animalidade, porque a mulher é sombra e luz, noite e madrugada, estrela acesa nas alturas da Idealidade e chama a crepitar em infernos torturantes de desejo.
Boa ou má, anjo bom ou anjo mau, ilusão ou engano, miragem encantadora ou amarga realidade, a mulher ainda conserva em todo o esplendor inextinguível o seu prestígio dominador.

As palavras acima, apesar da contemporaneidade, foram escritas por Angelo Guido em 1929 e servem como apresentação de um álbum reunindo as beldades rio-grandenses que participaram do Concurso Miss Rio Grande do Sul daquele ano.

O concurso movimentou as principais cidades do Estado, e Cachoeira, sendo uma delas, também enviou sua representante, a senhorita Branca Neves de Oliveira, que juntamente com as demais concorrentes foram apresentadas em um espetáculo realizado no Teatro São Pedro em 13 de março de 1929, evento que antecedeu a escolha de Miss Brasil. Na apresentação, o destaque foi para a eleita dos gaúchos, Billa Ortiz, Miss Uruguaiana.

Antes de participar da grande escolha em Porto Alegre, a representante de Cachoeira teve que passar por concurso local, tendo como concorrentes as beldades Maria Porto, a segunda colocada, e Alzira Torres, em terceiro lugar. A escolha foi por votação popular, angariando Branca Neves de Oliveira 6.684 votos; Maria Porto 4.407 e Alzira Torres 1895.

Página do álbum que mostra a primeira e segunda colocadas do Miss Cachoeira 1929
- acervo Arquivo Histórico
O álbum que registrou o grande concurso estadual, organizado pelo Diário de Notícias, de Porto Alegre, é fartamente ilustrado. Traz fotos artísticas das concorrentes das diversas cidades, assim como textos alusivos a algumas delas, louvando seus predicados. A miss cachoeirense ilustra duas belas páginas, revelando que os votos que recebeu contemplaram seus predicados de beleza. Há também muitos anúncios de patrocinadores e a relação do júri que promoveu a escolha de Miss Rio Grande do Sul, composto por: Angelo Guido, João Pinto da Silva, Andrade Queiroz, professor Libindo Ferrás, Dr. Mario Totta e Fernando Corona.

Branca Neves de Oliveira - Miss Cachoeira 1929
A candidata de Cachoeira não ficou dentre as sete primeiras colocadas, mas representou com muito brilho a beleza e graça da mulher cachoeirense, como revela a foto acima.

Este belo e raro álbum chegou aos nossos dias pelo gesto preservacionista de alguém que escolheu para ele melhor destino que a lata do lixo. Gestos como estes permitem que páginas da nossa história sejam revividas e traços da nossa cultura não sejam perdidos. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário