Espaços urbanos

Espaços urbanos
Ponte do Fandango - foto Mireila Moro

sábado, 5 de julho de 2014

Um maestro francês em Cachoeira

Cachoeira era uma cidade próspera na década de 1920. O bom desempenho da economia, alicerçada no arroz e indústria metal-mecânica, produzia mudanças no cenário social e cultural.

A música foi uma das atividades culturais mais impulsionadas naqueles tempos. Palco de apresentações para artistas que vinham dos mais diversos recantos do país e exterior, a cidade usufruía da facilidade de locomoção oferecida pela linha que unia Uruguaiana a Porto Alegre através dos trens. O trajeto, que passava por Cachoeira, proporcionava que muitos desses artistas fizessem sua estada e apresentações por aqui, seguindo depois viagem para outros centros.

A freqüência de apresentações de concertistas, individualmente ou em grupos, criou um cenário musical muito rico no início do século XX. A família de David Soares de Barcellos, por exemplo, era extremamente musical. O casal David e Alzira Águeda de Barcellos teve 24 filhos e muitos deles tocavam diferentes instrumentos, formando praticamente uma orquestra familiar. O sobrado onde residiam na cidade, na Rua Sete de Setembro, era frequentemente palco de apresentações musicais. Um dos integrantes, Alcindo Barcellos, foi maestro reconhecido que em 18 meses circulou por 53 cidades do Brasil em concertos e ao promover um deles em Cachoeira, no ano de 1905, obteve grande público e excelentes críticas.

Sobrado de David S. de Barcellos - Rua Sete de Setembro
- fototeca Museu Municipal
Dentre tantos músicos que escolheram Cachoeira para suas apresentações, um deles, natural da França, aqui chegou ao final da década de 1910. Era Maurice Jean Maissiat, filho de Jorge Carlos Constantino Maissiat e Maria Lebas. Em 1918, Maurice casou-se com uma cachoeirense, Maria do Carmo Corrêa Loureiro, mesmo ano em que publicava no jornal O Comércio (1900 - 1966) que pretendia abrir um conservatório de música, oferecendo lições de piano, viola, violino, violoncelo, solfejo, teoria e história da música. Também lecionava francês pelo método Berlitz. Não há registro da trajetória do conservatório de Maissiat. Mas em 10 de julho de 1921 ele aparece na inauguração da Escola Musical de Cachoeira, acompanhando a “virtuose Laura Silva”.

Maurice com a esposa Maria do Carmo - Cachoeira
- fototeca Museu Municipal

A Escola Musical de Cachoeira foi uma das iniciativas do Centro de Cultura Artística, inaugurado no começo de 1921, em Porto Alegre, cujo objetivo era implantar nas principais cidades do Estado escolas de música que seriam centros de atração de talentos e de formação de músicos através de métodos então considerados modernos. Nossa Escola Musical, que funcionava no prédio do Clube Renascença, depois sede da União de Moços Católicos, na Rua Sete de Setembro, teve vida curta, mas profícua. Assim como Maurice Maissiat, contou com outro gênio musical vindo de fora: o nordestino Souto Menor.


Maurice Maissiat passou ainda por cidades como Santa Maria e Montenegro, deixando um importante legado musical.

2 comentários:

  1. A história de nossa Cachoeira...

    ResponderExcluir
  2. Mais um belo capítulo da história de nossa Cachoeira.#belaquesóela

    ResponderExcluir