Espaços urbanos

Espaços urbanos
A Imaculada - foto Renato Thomsen

sábado, 8 de março de 2014

8 de março - Dia Internacional da Mulher

Cachoeira do Sul teve, ao longo de sua história, muitas mulheres que se destacaram em suas atividades, conquistando o respeito da comunidade e abrindo caminho para que outras também obtivessem seu espaço.
Dentre estas mulheres do passado, podemos citar as musicistas Lise Santos e Dinah Néri Pereira que, de alguma forma, foram pioneiras em suas atividades e serviram de inspiração e modelo para tantas mais que depois vieram. Impossível não relembrar também Rita de Cássia Fernandes Barbosa e sua quase obsessão em dotar Cachoeira de uma escola de belas artes.

Rita de Cássia Fernandes Barbosa - acervo familiar

Cândida Fortes Brandão - fototeca Museu Municipal

Dinah Néri Pereira (centro)
- fototeca do Museu Municipal

Alzira da Cunha Carlos

Clarinda Porto da Fontoura - reprodução 
Lya Wilhelm - fototeca do Museu Municipal

Na área da educação, obrigatório referir as professoras Cândida Fortes Brandão, que dá nome a uma escola estadual; Alzira da Cunha Carlos, mantenedora de sua própria escola, que foi referência para gerações e gerações de cachoeirenses, e Lya Wilhelm, cuja trajetória uniu magistralmente educação e cultura.
Mas há também aquelas mulheres que, seguindo o costume de seu tempo, apoiavam os maridos e mesmo sendo indispensáveis para a notoriedade deles, mantinham-se à sua sombra. Algumas delas foram lançadas ao protagonismo pela história. Clarinda Porto da Fontoura, esposa de Antônio Vicente da Fontoura, foi uma destas mulheres. Com as ações do marido durante a Revolução Farroupilha, viu-se só com a família e os negócios, sendo revelada à história pelas cartas que ele lhe mandava dos acampamentos farroupilhas.
Lembrando estas mulheres, homenageamos a todas as cachoeirenses, notáveis ou anônimas, no dia dedicado a elas.




Nenhum comentário:

Postar um comentário