Espaços urbanos

Espaços urbanos
Centro Histórico - foto Eduardo Schroeder

domingo, 31 de agosto de 2014

Ecos da 1.ª Grande Guerra em Cachoeira: o rompimento das relações entre Brasil e Alemanha

Em 18 de abril de 1917, o jornal O Commercio reproduziu d'A Federação ampla notícia que dava conta do rompimento de relações entre Brasil e Alemanha, provocado pelo torpedeamento do vapor brasileiro "Paraná" por submarino alemão. A ação aconteceu quando o navio brasileiro aproximava-se do porto de Havre, na França.

O presidente do Estado, Dr. Borges de Medeiros, por ocasião do acontecido, recebeu telegrama da Presidência da República, com a seguinte mensagem:
Consideramos essencial para a manutenção das relações que nenhum navio brasileiro seja atacado em qualquer mar, sob pretexto algum, mesmo de conduzir contrabando de guerra, tendo nações beligerantes arbitrariamente incluído tudo nessa categoria.

Em Cachoeira, na tarde do dia 13 de abril de 1917, foram distribuídos boletins convidando o povo para reunir-se na Avenida das Paineiras para um comício patriótico ao anoitecer.

Avenida das Paineiras - coleção Osvaldo Cabral de Castro
Lá pelas 19h30, reunido grande número de pessoas no local determinado, a Banda Musical Estrela Cachoeirense executou o Hino Nacional, ouvido com reverência por todos. A seguir, foi organizada uma passeata que percorreu várias ruas da cidade, retornando à Avenida das Paineiras e postando-se diante do Cinema Coliseu Cachoeirense e imediações.

O Dr. Arlindo Leal, subindo em um dos bancos da Praça José Bonifácio, visivelmente emocionado, "verberou o atentado contra a soberania brasileira, expresso no torpedeamento do vapor Paraná."

Ruy Barbosa
Logo após usou também da palavra o advogado Abrilino Lança, que leu uma oração patriótica, terminando com um Viva ao Brasil!, entusiasticamente correspondido. Foram lidos ainda por ele o conteúdo de dois telegramas endereçados pelos cachoeirenses ao Dr. Wenceslau Braz, Presidente da República, e ao Dr. Ruy Barbosa, referindo o apoio local aos atos de repúdio proferidos pela nação brasileira ao torpedeamento do navio.

Presidente Wenceslau Braz



Por fim, entoado o Hino Nacional mais uma vez, nova passeata dirigiu-se até a Intendência Municipal, dispersando-se depois na Rua Sete de Setembro.

Intendência Municipal - fototeca Museu Municipal



Nenhum comentário:

Postar um comentário