Espaços urbanos

Espaços urbanos
Catedral em festa - foto Renato F. Thomsen

domingo, 23 de junho de 2013

Sérgio Lezama - poeta excepcional

Sérgio Gaspary Lezama foi certamente um dos maiores expoentes da literatura cachoeirense. No entanto, sua vida breve e obra esparsa, nunca publicada no conjunto, trazem seu nome à lembrança de poucos.

Sérgio Lezama em 1945
Acervo pessoal Edgar F. Becker

Nascido em Cachoeira no dia 2 de outubro de 1930, viveu até 14 de novembro de 1966. Apenas 36 anos! Mas apesar da vida breve e de ter a alma aprisionada em corpo doente, foi capaz de produzir poemas atemporais. Divinos.

Onde findam todos os limites
alucinado princípio.
Sou como um rio
a que barco nenhum resiste.

Onde a noite funde-se com a alvorada
ali faço meu horizonte
e ocaso. Sou como a fonte
que a si mesma se bebe insaciada!

Onde Deus começa eu termino
e vice-versa como um rei
que é também bobo da corte.

Em mim coexistem o velho e o menino
por isso nada sei e tudo sei
aquém da vida e além da morte.


Lezama, o 4.º da esquerda para direita, no alto
Acervo pessoal Amoretty Rodrigues




4 comentários:

  1. Lezana é "avis rara" em meio a um mar de "mesmismos"! Que se consiga reunir o máximo possível de obras para agraciar sua terra natal com uma coletânea da "sua obra esparsa" que visivelmente está sendo reagrupada. Parabéns, Mirian e equipe do Arquivo Histórico!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renate, como cachoeirenses e, principalmente, como apreciadores da boa literatura, temos obrigação de ressaltar o trabalho do nosso genial e quase desconhecido Sérgio Lezama.
      Abraço.
      Mirian Ritzel

      Excluir
  2. Renate, a bendita Mirian está dedicando-se a pesquisar Lezama e sua obra. Clio está levando-a pela mão e os "achados" se multiplicam.Temos pelo menos um poema por dia para ouvir.

    ResponderExcluir