Espaços urbanos

Espaços urbanos
Igreja Santo Antônio - foto Mário H. Kämpf

domingo, 7 de dezembro de 2014

Dr. Balthazar de Bem: homenagens do 30.º dia de seu desaparecimento

A comunidade do Barro Vermelho, no interior de Cachoeira do Sul, guarda um monumento que foi erguido com a finalidade de lembrar para sempre um incidente traumático da nossa história e homenagear um dos homens públicos mais importantes do primeiro quartel do século XX: Dr. Balthazar de Bem, morto em 10 de novembro de 1924 no levante do 3.º Batalhão de Engenharia.

A morte de Balthazar, além de outras tantas homenagens, ensejou a denominação da então Praça Almirante Tamandaré que passou a ser a Praça Balthazar de Bem em março de 1925.

O jornal O Commercio, em sua edição de 17 de dezembro de 1924, quando já havia transcorrido o primeiro mês do fatídico acontecimento, onde também pereceu o jornalista Fábio Alves Leitão, noticiou as homenagens de 30.º dia do desaparecimento do médico, político e empreendedor Balthazar Patrício de Bem:

Passou, quarta-feira última, o 30.º dia do desaparecimento objetivo do estimado e querido cachoeirense Dr. Balthazar de Bem, que tombou heroicamente no combate do Barro Vermelho, onde, voluntariamente, levado pelos seus nobres impulsos do amor à ordem e à lei, quando combatia na primeira linha, de carabina em punho, acertou-o uma bala explosiva enviada pelos perturbadores da paz e da ordem constitucional.

Ainda perdura no espírito público a intensa mágoa que causou o desaparecimento desse estimado e popular cidadão, digno, por tantos títulos, da veneração dos seus contemporâneos.

Por iniciativa da comissão executiva do Partido Republicano local, composta dos senhores Capitão Francisco Gama, Drs. Annibal Loureiro e João Neves da Fontoura realizaram-se, às 9 horas da manhã de 10, solenes exéquias na Igreja Matriz, que ficou cheia de excelentíssimas famílias e cavalheiros. Uma banda musical executou funerais no recinto do templo.

Igreja Matriz na década de 1920 - fototeca Museu Municipal

Finda a missa, efetuou-se uma romaria ao túmulo que encerra os preciosos despojos mortais do preclaro extinto, no Cemitério Municipal. Ali falou emocionante e comovedoramente o Dr. Annibal Loureiro, vendo-se muitos dos presentes verterem copiosas lágrimas de dor e saudade.


Ao meio-dia, um numeroso grupo de amigos e admiradores seguiu, em automóveis, para o Barro Vermelho, 3.º distrito deste município, chegando às 3 horas da tarde ao lugar onde tombou, mortalmente ferido, o saudoso clínico, nas imediações da casa comercial do Sr. Theofilo Lobato.

Nesse lugar, para sempre memorável, foi colocada uma lápide com a seguinte inscrição:
Aqui tombou em 10 de Novembro de 1924 o Dr. Balthazar de Bem, luctando heroicamente pelos seus ideaes. Estimado pelos inimigos, amado e chorado pelos amigos.


Monumento no Barro Vermelho - fototeca Museu Municipal

Esta significativa homenagem foi-lhe prestada pelo seu ilustre colega e amigo Sr. Dr. Milan Kras, prestando continência no ato um pelotão do 3.º Batalhão de Engenharia, aqui aquartelado.

Passados 90 anos do acontecido, o monumento, embora descuidado, segue testemunhando página triste da história local e refletindo o sentimento de respeito e veneração dos nossos antepassados pela figura marcante do Dr. Balthazar de Bem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário