Espaços urbanos

Espaços urbanos
Nossa Senhora abençoa o Centro Histórico - foto Renato F. Thomsen

quarta-feira, 8 de março de 2017

Hilda Goltz - uma grande mulher grande

Hilda Goltz, nascida em Cerro Branco, então distrito de Cachoeira, em 29 de junho de 1908, poderia renascer hoje e ainda assim chamar a atenção, apesar do distanciamento temporal e da escalada da mulher na sociedade de lá para cá.


Hilda Goltz em foto de 2008
A personalidade forte de Hilda já dava sinais desde a sua tenra idade e, talvez por ser a quinta filha dos sete que Carlos Goltz e Ida Stecker Goltz tiveram, a menina era satisfeita em seus desejos. Aos seis anos, interessada em reproduzir o universo que a cercava, começou a moldar com o barro vermelho de um riacho figuras dos animais que havia nos campos de seus pais. Na adolescência, descobrindo que amigas que estudavam em São Leopoldo tinham aulas de pintura, pediu aos pais que lhe comprassem tintas. E assim começou a pintar, realizando-se quando encontrou em Cachoeira o pintor, fotógrafo e proprietário de ateliê Frederico Guilherme Lobe, com quem passou a ter aulas. Lobe revelava e fazia cópias de fotografias, arte na qual Hilda também se iniciou. E deve ter sido ótima aluna porque quando Lobe foi embora para Porto Alegre, ela assumiu as suas aulas na cadeira de Desenho da Escola Complementar de Cachoeira.


A jovem Hilda Goltz - fototeca Museu Municipal

Por esta época, abriu seu próprio ateliê de fotografia, no sobrado Barcellos, na Rua Sete de Setembro. Dentre a clientela, famílias importantes de então, como os Ilha e os Wilhelm.


Sobrado Barcellos (pertencia à família de David S. de Barcellos)
- fototeca Museu Municipal


Lya, Rolf e Ila Wilhelm fotografados por Hilda Goltz
- fototeca Museu Municipal


Mas Cachoeira era pequena para as pretensões artísticas de Hilda Goltz. Certamente também pequena para a mulher avançada que era, a ponto de escandalizar alguns ao se dirigir sozinha às lavouras de arroz com telas, pincéis e tintas para registrar os trabalhadores... E não conseguiria passar despercebida por ninguém, haja seus quase dois metros de altura...



Hilda Goltz com tela e pincéis
- fototeca Museu Municipal

De Cachoeira seguiu para Porto Alegre e de lá para o Rio de Janeiro, onde foi introdutora e primeira professora da cadeira de Cerâmica da Escola Nacional de Belas Artes da Universidade do Brasil. Em seu ateliê, no bairro de Ipanema, produzia peças que ganharam exposições por todo o país e fora dele. Mais tarde mudou-se para Miguel Pereira, região serrana do Rio, para Brasília e finalmente para a terra natal, onde faleceu aos 101 anos em 12 de outubro de 2009.


Exposição comemorativa do centenário de Hilda Goltz no Museu Municipal

Hilda Goltz ousou ser diferente e associou à sua grande estatura a trajetória de mulher que não se curvou aos ditames do século em que nascera. Venceu-o, ousando ser protagonista na vida e na arte.

Nota: em 2008 o Arquivo Histórico e Museu Municipal lançaram o caderno de história n.º 4 sobre Hilda Goltz, em comemoração ao seu centenário de nascimento, com a participação da homenageada.

4 comentários:

  1. Sempre os filhos número 5 !!! Que mulher forte e visionária !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Suzana, és a de número 5? Bem se vê...
      Abraço.

      Excluir
  2. Como lamento não ter convivido com esta GRANDE MULHER E ARTISTA!!!

    ResponderExcluir