Espaços urbanos

Espaços urbanos
Para não esquecer o 1.º de maio e sua alusão ao trabalho - foto Robispierre Giuliani

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Série Lojas do Passado: Casa Alaggio

A Casa Alaggio, fundada por Biagio Alaggio em 1889, vendia fogões de ferro estrangeiros, louças, fantasias, tintas, ferragens e estava localizada na Rua Sete de Setembro, 42. Em 1921, passou a comercializar revólveres, armas, munições, navalhas, miudezas. Em 31/8/1922, Biagio vendeu as existências da sua casa comercial para o filho Saverio Alaggio que continuou no mesmo prédio e ramo, ampliando o estoque para ferragens, tintas, pincéis, miudezas, vidros, louças, cristais, porcelana, cimento, telhas de zinco, arames, óleos e graxas, fogões, apetrechos para cozinha, artigos sanitários, pertences para instalações hidráulicas.
Em junho de 1928, a loja foi instalada no prédio mandado construir na Rua Sete de Setembro, fronteira à Praça José Bonifácio, ao lado da Tipografia do Comércio. Com bela fachada, tinha 14m de frente por 27m de fundos, obra do engenheiro Julio Rieth e de Roberto Jagnow. Em 1942, passou à direção de Nicolau Alaggio e Júlio Castagnino. Permanecia no ramo de ferragens e acrescentou maquinaria agrícola, motores, rádios, refrigeradores, máquinas de escrever, tintas, louças, miudezas, cristais, artigos para presentes.
Novas instalações da Casa Alaggio foram inauguradas em 21 de dezembro de 1946, às 15 horas. A fita simbólica colocada na sala principal de entrada foi cortada pelo Prefeito Cyro da Cunha Carlos. Na ocasião, em nome da nova firma, falou o seu procurador Dr. Jaime Machado de Oliveira. Houve descerramento dos retratos dos fundadores Biaggio Alaggio e Saverio Alaggio, e dos então proprietários Nicolau Alaggio e Júlio Castagnino. Em outra dependência da firma foram servidos doces, champanha e bebidas finas, conforme noticiou o jornal O Comércio (1900- 1966), em sua edição da véspera do Natal de 1946.

Casa Alaggio - Rua Sete de Setembro
- acervo Museu Municipal



Nenhum comentário:

Postar um comentário