Espaços urbanos

Espaços urbanos
Placa de inauguração da Primeira Hidráulica - 20/9/1921 - Cristianno Caetano

domingo, 13 de junho de 2021

Uma igreja para o "Santo Casamenteiro"

"Ó gentil e amoroso Santo Antônio, cujo coração foi sempre cheio de simpatia humana, sussurra a minha petição aos doces ouvidos do Menino Jesus, que gostava de estar em seus braços. A gratidão do meu coração será sempre sua. Amém." 

O dia 13 de junho é dedicado a Santo Antônio, cuja devoção se traduz bastante antiga em Cachoeira. Cultuá-lo, muito antes de ser em razão de sua fama de "santo casamenteiro", se relaciona com a nossa raiz histórica portuguesa. Da mesma forma que herdamos dos nossos fundadores o culto à Imaculada Conceição, a padroeira de Portugal, rendemos preces ao santo que nasceu em Lisboa a 15 de agosto de 1195.


Santo Antônio - Robispierre Giuliani

Santo Antônio nasceu Fernando de Bulhões, nome substituído durante a sua formação religiosa na Ordem dos Cônegos Regrantes de Santo Agostinho. Sua dedicação à doutrina fez dele um estudioso e grande teólogo que foi postumamente reconhecido pelo Papa Pio XII com o título de Doutor da Igreja (1946).

A primeira homenagem oficial a Santo Antônio, em Cachoeira, foi a denominação, em 1858, de uma das principais ruas da Vila Nova de São João da Cachoeira, e uma das mais antigas, popularmente conhecida como Rua dos Cachorros. Nessa antiga rua possuíam terrenos dois vultos da história da instalação da Vila, os vereadores Francisco José da Silva Moura, português de nascimento, Joaquim Gomes Pereira, e o médico José Afonso Pereira, proprietário da casa em que D. Pedro II foi hospedado em 1846.


Cartão-postal da Rua Saldanha Marinho - Museu Municipal


Francisco José da Silva Moura possuía dois terrenos na Rua de Santo Antônio, um deles concedido em 1820. Seria ele devoto do santo português, seu conterrâneo, influenciando assim na denominação da rua?

A Rua de Santo Antônio não conservou este nome, passando a se chamar Rua Saldanha Marinho ainda no final do século XIX.

Na década de 1920, quando os padres redentoristas chegaram em Cachoeira com a disposição de aqui instalarem um convento e uma igreja, foram obsequiados com a concessão de um terreno junto ao Potreiro dos Fialho. A doação foi feita por Antoninha Fialho com a condição de que a igreja a ser erguida homenageasse a Santo Antônio. E assim foi feito. A igreja foi inaugurada em outubro de 1937, o local passou a ser conhecido como Bairro Fialho depois que os herdeiros de Antoninha estabeleceram um loteamento e, finalmente, como Bairro Santo Antônio. 


Construção da Igreja Santo Antônio - Museu Municipal

O "santo casamenteiro" ganhou um templo que é uma das mais ricas pérolas da arquitetura sacra de Cachoeira do Sul, projeto do arquiteto e artista alemão José Lutzenberger, e inventariada como patrimônio histórico-cultural.


Detalhe da Igreja Santo Antônio 
- Robispierre Giuliani


Torres da Igreja Santo Antônio - Renato Thomsen